quinta-feira, 20 de maio de 2010

E não tem como ignorar , ou esquecer .



Uma coisa é certa: vou permanecer na eterna condição de poder errar, e com isso quem sabe um dia chegar perto de acertar. Todo mundo está sujeito à algo do tipo, sempre. Por mais que você se considere certinho, comportado, calmo e inteligente. Chega uma hora que você erra, e feio. Erra de um jeito que mexe tanto com você, a ponto de querer voltar no tempo, concertar as coisas, fazer diferente pra quem sabe amenizar as consequências. Isso é impossível, vivo percebendo isso. Tudo fica mais fácil, quando se tem alguém junto a você, correndo do seu lado, te apoiando e ajudando a rever tudo. Alguém que não te julga, mas te escuta/compreende . Que não te subestima, mas te apoia. Que não ridiculariza seus problemas, mas  te ajuda a achar respostas. Que não fala aquilo que você quer, mas sim o que precisa ouvir. Alguém que vai te ouvir, mesmo sabendo o final da história, talvez por te conhecer tão bem. Alguém que vai rir junto de você, das coisas mais simples. Vai olhar nos seus olhos, e entender tudo sem você precisar dizer uma palavra sequer. Ele vai chorar com você, ah vai sim. Ele saberá o momento exato de se calar, de cantar, de sorrir, de amparar. Aquilo que era singular, vai ficar no plural, pra poder te colocar junto. Vai te dizer tudo aquilo que pensa, sem medo algum. Uma pessoa que vai se preocupar com seus problemas, como se fossem dele também. Alguém que nunca vai te deixar sozinho, mesmo que você pense o contrário. E estes seres, eu chamo de amigos. Poucos, mas com uma importância incalculável, que as vezes questiono se mereço tanto.

Um comentário: