quinta-feira, 24 de junho de 2010

Essencialmente , essência .


Exclusividade. Se passar toda a sua vida com um certo tipo de pessoas  que pra você são as 'ideais' por simplesmente serem iguais, com os mesmo gostos, opiniões, objetivos, maneira de enxergar a vida, estará perdendo muito. Ou quem sabe tudo. Sua alma gêmea  poderá ser seu oposto. Não vale a pena fechar os olhos para ela.
Para mim, procurar semelhanças em meio a tantas diferenças, é no mínimo, gratificante. Vai muito além da aparência, que as cores, forma , cheiros, ou qualquer outro conceito de 'belo' que você tem em mente, te ofusca. Ofusca porque mascara a realidade, tornando algo aparentemente bom, ruim. Ou vice-versa. É melhor procurar a essência, resgatá-la. É ela que te torna diferente  de todos. Funciona como digitais, mas é melhor, porque é maleável , você pode modificá-la, personalizá-la  juntando-a com a de outra pessoa. Os outros, que não se 'arriscam' a conhecer novas essências, talvez se percam . Não, definitivamente esse não é um conceito de felicidade .
Junte-se , liberte-se , lave seus olhos e veja toda a beleza presente a sua volta . Desate os nós , que te impedem de conhecer novas pessoas , se deliciar com novos sabores , sentir algo que nunca antes sentiu , mesmo que seja abstrato . Você irá rir , chorar , se decepcionar , ou até mesmo se arrepender , mas é a garantia de que terá realmente vivido . Busque aquilo que é realmente preciso , compreenda que pouco pode ser muito , se bem aproveitado . Grite , espante seus medos , faça diferente , seja você .

quarta-feira, 16 de junho de 2010

sozinha , não conseguiria .


E com meu pouco tempo de vida, minha mínima experiência, aprendi algumas coisas, com muitos erros. Mentira que se dissolveram, pois surgiam unicamente para elevar meu ego ou evitar algumas lágrimas, mas enfim, eram somente ilusões. Ilusões que de certa maneira me fizeram crescer. Aprendi que menosprezar alguém, não me fará melhor. Chamar alguém de burro, não me deixará mais inteligente. Dizer que alguém é feio, não me fará mais bonita. De fraco, não vai me fazer mais forte. Rir de seus medos, não me deixará mais corajosa. Apontar o seu pior, não me tornará melhor. Se fosse fácil assim, eu simplesmente não teria meus problemas. Sem problemas, ficaria estagnada no ponto em que estou, e ah, não quero isso pra mim, é uma das únicas coisas sobre minha vida que posso modificar. Gosto de certa maneira  de achar soluções, embora não seja muito boa nisso.
Aprendi  que apoiar é bem melhor que julgar, minha ajuda por menor que seja, pode ser necessária. Não irei me elevar com meus progressos, mas também não me considerarei um lixo. Não espero que ninguém goste de mim, se eu não fizer o mesmo primeiro. Precisava escrever isso, meio que pra guardar . Algo confuso que, talvez, me fará bem.

terça-feira, 15 de junho de 2010

impossível , talvez .


Ela era nova, inexperiente, boba. Ele, apesar de jovem, via o mundo de uma maneira totalmente diferente, de um jeito maduro, concreto e real. Ela buscava ver beleza em todos os lugares, enquanto ele  encarava a verdade nua e crua. Ele sofria por sentir na pele todos os problemas que lhe cercavam, e ah, eram tantos. Ela sorria sempre, e sofria de um jeito diferente, pois tentava passar para todos uma imagem constante, talvez por medo  de desmoronar seu mundo. Eram totalmente opostos, em tudo. Na personalidade, principalmente. A garota sabia que ele a amava, de um jeito tão profundo e sincero, mas vivia duvidando disso. Tinha necessidade de confirmação, guardava com ela um ciúmes que corroía seu coração. Ele , por sua vez , sabia compartilhar amor, e era bem mais compreensivo. Se tinha ciúmes  em algum momento, não demonstrava, e se irritava bastante com aquele vindo da menina. Discutiam, e se entendiam. Se magoavam, se perdoavam, eles realmente se amavam. Um amor tão frágil, que era o responsável por lágrimas bastante frequentes. Mas eles eram felizes, eram sim. Se completavam com as diferenças, e descobriam qualidades que muitos não viam. E apesar de todos os problemas, eles precisavam ficar juntos, pois a vida de um, de certa forma, dependia da do outro. Como ponteiros num relógio, ajustados e sempre batendo juntos, se encontrando poucas vezes no dia, mas fazendo o tempo deles, cada um do seu jeito, cada um no seu momento. Um amor que duraria por muito temp , enquanto ambos acreditassem nele.

terça-feira, 1 de junho de 2010

uma dor necessária .


Você precisa amar, se quiser continuar respirando. Precisa sofrer, chorar, esquecer muita coisa, perceber tantas também, enfrentar diversas situações, por um único sorriso. Uma única palavra . Sem amor, você não vive . Pode até discordar de mim, em algum ponto, dizendo que vive sem amor, e ainda se mantém vivo. Mentira. Você só não percebe, mas alguém sempre te considera. O problema é quando esta pessoa  não consegue demonstrar do jeito certo  ou talvez do jeito que você queria. O amor torna tudo tão complicado, tão confuso, idiota. Você quebra a cabeça tentando entender algo que talvez nem tivesse tanta importância como  imaginava. Um amor sobrevive, mesmo que você já não o sinta tão forte como antes. Ele adormece. Você pode acordá-lo, se quiser. O verdadeiro amor sempre se renova, desperta. Algo que dói, mas cura. Que aborrece, mas traz alegria. Que incomoda, mas conforta. Que estraga, mas concerta. Que te mata, e ressuscita. Mas é necessário, ah é sim. Ele pode ser sua companhia  quando se sentir completamente só. Mesmo que não acredite mais tanto nele. Ele te prega peças, cria feridas que demoram pra cicatrizar. Um mal necessário.Ele é o veneno e o remédio, tira a dor e ao mesmo tempo, parte seu coração .