sábado, 31 de julho de 2010

Como papel .


Sempre tive medo . Uma medo constante , que me consome . Ele é muito forte , e uso todos os meus artifícios para tentar combate-lo . Ele mina minhas forças , se alimenta de minha coragem , rouba minha confiança . Talvez seja algo normal , e eu ainda só não aprendi com lidar . Ou quem sabe não , eu seja realmente muito fraca , a ponto de baixar a cabeça , e desistir de tudo .
Quero passar a ver lembranças antigas como fotos , assim , eu posso guardá-las em uma caixa , muito bem fechada , e procurá-las somente quando eu quiser . Ter o dom de rir de maneira realmente espontânea do que passou , antes mesmo das lágrimas presas em minha garganta virem á tona . Sou um ser fraco , que ainda não consegue nem mesmo tomar decisões sozinha , e que dirá escolher o que é bom ou ruim pra mim .
Não me dou muito bem com aquilo que é novo . Demoro muito tempo para conseguir me acostumar com as coisas , o que é bastante contraditório , uma vez que sou totalmente impaciente . Procuro passar a ideia de alguém realmente relevante , tentando ajudar as pessoas , a se levantarem , a se manterem de pé . Queria encontrar algum modo , de usar isso em mim . Para me manter forte , viva , e quem sabe um pouco feliz . Não só por mim , mas também por outros , que de certa maneira me usam como base . E não , eu não quero gerar uma decepção , assim , tão grande . Me vejo como uma pálida folha de papel . Frágil , maleável , e com marcas profundas , dificeis de apagar , ou impossíveis .

Nenhum comentário:

Postar um comentário