domingo, 19 de setembro de 2010

Hey mister love .


Alô Alô doutor amor . Há muito tempo , queria falar com você , precisamos ter uma séria conversa . Quero reivindicar muitas coisas , que nos últimos anos, você mudou na minha vida . De início , quero pedir de volta minha inocência. Porque a tirou tão rápido de mim ? Logo ela que me fazia ver o mundo com outros olhos, de uma maneira mais pura, menos sofrida . Conseguia enxergar as qualidades das pessoas que sobrepunham os defeitos , os males , tudo aquilo de ruim . Ela me deixava mais tranquila , menos preocupada com o que vem daqui pra frente ...

Quero pedir de volta também , o ritmo da minha pulsação . Depois que você entrou em mim , corre junto com meu sangue , um tipo de adrenalina , me tornando eufórica , ofegante . Nas vezes em que aflora , cora minhas bochechas , me deixando sem graça em algumas situações. Você é mal , mesmo .

Poderia ter deixado na sua última visita , um pouco mais de senso . É isso mesmo , muitas vezes tenho ficado boba , com expressões prontas que mascaram meu pensamento que permanece voando por muito tempo , só de encontrar o sorriso dele .

Ah , quero te lembrar também , que nos últimos meses , você tirou um pedaço de meu coração , e levou com você . Ocupou um grande espaço dele , e agora , se recusa a sair , por mais que muitas vezes seja oque eu mais quero , mesmo momentâneamente . Como você se acha no direito de chegar , se instalar , e tomar conta de mais da metade de mim ? Isso é um absurdo . Mais errado ainda , é perceber que hoje já não consigo viver sem os constantes arrepios , os sorrisos tolos , os olhares vidrantes , os sonhos brilhantes , a respiração ofegante , os reflexos retardados , as novas cores , os novos sabores , os lucros e prejuízos , os erros e acertos , enfim , sem você .

É mais fácil falar dos seus pontos negativos . Os positivos eu sinto , os negativos só cito .

segunda-feira, 13 de setembro de 2010

Feliz aniversário .


E lá estava ela . Como de costume , se refugiou no telhado de sua casa , e , como na maioria das noites , perdia a noção do tempo contando as estrelas . . Seu aniversário , e de presente escolheu a solidão , que irônico . Com passos leves , ele se aproximou , tapou seus olhos e fingiu uma voz fina , típica , que lhe arrancava da face um de seus dez sorrisos .
- Olá você .
- Droga , eu nunca consigo - ele riu , sem graça - Mas o que faz aqui sozinha ? É seu aniversário , deveria estar um pouco mais animada , e se não for pedir muito , quem sabe mais feliz ?
- Sabes que não é possível .
Ele se deitou ao seu lado . Ela se assustou pelo fato de estar tão próximo . Seu coração estava pesado , e logo libertou em escassas lágrimas , o choro preso a muito tempo . Vendo a cena , ele acomodou a cabeça da menina em seu peito , bem próximo de suas saboneteiras marcantes sob a blusa . Ela pôde notar que seu coração estava acelerado , e sua voz saia como se estivesse engasgada .
- Por favor , você sabe que não depende de mim , e , cedo ou tarde , isso iria acontecer .... É meu sonho , preciso ir , pra quem sabe um dia , poder te buscar . Para nós dois morarmos na mesma rua , e no fim da tarde , sair com nossos filhos para passear , e rir de tudo o que passamos juntos . Você sabe .. meu anjo .
- Sei que sim , mas é difícil imaginar tudo daqui pra frente sem você . Durante toda a minha vida , te tive perto de mim . Todos os meus erros , acertos , de certa forma são seus , e sabes que sou fraca , quem me apoiará quando eu mais precisar ?
- Reparou na cor do céu ? Parece chocolate , sua cor preferida .
- Por favor , não desvie o assunto .
Ele a apertou , a colocou um pouco mais junto dele . Sua mão desceu pelo seu corpo , e como num encaixe , parou sobre sua cintura . A outra mão estava ocupada , tocava o cabelo da menina delicadamente .
- Sabia que você tem uma ruguinha de preocupação entre suas sobrancelhas , bem aqui ?- ele apontou .
- Sei , ela , na verdade , se acentuou nos últimos dias ...
- Notei que seus cabelos estão um pouco mais claros , me faz lembrar do verão passado quando apareceu toda nervosinha porque viu suas fotos de quando era mais nova , reclamando da cor loira de seus cabelos , você se lembra ? Tinham cheiro de baunilha , como agora .
- É - ela disse, secamente .
- Seus olhos estão inchados , você está diferente . Caramba , aonde eu estava ? Você mudou muito .
- Acredito que sim , algumas coisas me obrigaram a isso .
Agora , sua mão se movia . Parou . Encontrou a mão gelada da menina , que estava agora , tão frágil . Entrelaçou seus dedos nos dela , ele sabia que pra ela , era uma atitude realmente importante . Ela conhecia as ações dele , e portanto , ja previa .
- Olha , se eu pudesse , preferia nem mesmo ter te conhecido . Seria mais fácil pra mim . Mas tudo mudaria , eu perderia muito , e quem sabe , tudo . Eu te conheço melhor que você mesma , tenho certeza disso . Sei de cor seus sorrisos , seus olhares , os mais discretos movimentos de sua boca . Sou parte de você . Isso irá me ajudar mais tarde , me fará sorrir ao lembrar de você .
Seu corpo todo se arrepiava ao ouvir a voz do rapaz , e borboletas surgiam em seu estômago . Ela tentava disfarçar , brincando com a correntinha que pendia do pescoço dele .
- Infelizmente , eu não posso dizer o mesmo . Sou diferente de você . Pra mim é mais difícil sentir sem tocar , lembrar se ver , e amar sem ter .
- Mas o amor é algo que se fortalece com o passar do tempo . O nosso cresceu e amadureceu , hoje temos tudo isso . E aliás , a distância é algo novo para nós dois , mas necessário . Tente encarar isso como mais um obstáculo tudo bem ? Esqueça que o amanhã existe , aproveite o que ainda temos . O hoje . Me promete ?
- Prometo . Mas se eu pudesse parar aquele avião ....
- Shiu . Você prometeu .
- Tudo bem .
- Então , não é o melhor presente , mas espero que goste ... Feliz aniversário , meu anjo .
Deu lhe um beijo na testa , e , de uma caixinha minúscula ele tirou duas pulseiras , com o símbolo do infinito , e as colocou no pulso dela . Foi recíproco .
- É tão .... lindo !
- Algo pra você ter , perto de você , quando eu não puder mais dizer que te amo .
E depois disso , eles se abraçaram , e durante toda aquela noite , falaram sobre tudo , sobre todos . Sobre o passado , e o presente . De uma maneira involuntária , faziam naquele momento , o futuro . a noite se encarregava em aperfeiçoar a cena , típica de quadros . Dois amigos , dois confidentes , rindo do nada , congelando no frio .