sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

Make a wish


Finais de ano são sempre esclarecedores. Não precisam ser exatamente sofridos, marcantes ou inesquecíveis. Prefiro deixar tais emoções de lado, ainda que estas tenham me perseguido no último mês. Nem tudo que termina é necessariamente ruim, entretanto, só se pode valorizar aquilo que se tem de bom quando se perde ou se aproxima disso. 2011 foi inusitado do início ao fim. Você começa um ano esperando conhecer novas pessoas, mas não pensa em perdê-las. Almeja o sucesso em inúmeros ramos, mas não conta com o fracasso. Anseia por finais felizes mas não espera meios atordoados e bagunçados. É sempre bom contar com algo bom, mas manter os pés no chão e se prender à realidade também é essencial.
Pedras no caminhos existem, mas a presença de obstáculos é, no mínimo, fortalecedora. Você apanha e chora, mas mesmo que não perceba, acaba sorrindo. Talvez com uma foto, uma música ou uma noite com pizza e gargalhadas, com um beijo ou um abraço. Quem sabe você precisa de um pouco menos do que isso? Descobri esse ano que não se pode planejar o que é naturalmente imprevisível, que seu coração não vai bater no ritmo nem nos momentos mais aguardados. Vi naquilo que me machuca, um ponto de apoio, e em bases fixas uma diminuição da estabilidade. Aprendi que o adeus é inevitável, e sua presença não significa afastamento. Que a saudade só evidencia o amor, e que lágrimas são remédios milagrosos.
2012, eu não espero pouco de você, aliás, eu não sei o que esperar. Me surpreenda, me faça crescer, me deixe sorrir, me permita chorar, não me deixe cair e, acima de tudo, seja sempre melhor do que o ano anterior.

-

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Antídoto


Não encontrei até hoje solução mais eficaz para tantos problemas. Cura corações partidos, noites mal dormidas, alguns tipos de depressão, angústia, saudade, medo, desconforto. Não existe medida ou dose certas, e pode ser encontrado em diversos locais. Um abraço cura quase tudo.
Tímidos ou desesperados, fortes ou fracos, certeiros ou incertos, eles te fazem bem. É um momento único, no qual você se coloca no corpo do outro, usando-o como seu apoio, sua base, seus cais.
Ouve-se o ritmo, sente-se o cheiro, reconhece-se o calor.
Se frios estás, basta um toque para se derreter. Se quebrado se encontra, não é difícil se remontar em poucos segundos. Se perdido estás, o caminho de volta é facilmente descoberto.
Eu realmente não sei o que vai ser de mim sem essa dose - antes diária - de bem estar, aliás, eu imagino. As pessoas por enquanto estranham esse meu estado de espírito, mas com o tempo se acostumarão. Não consigo disfarçar algo tão evidente, essa saudade absurda de algo que nunca foi inteiramente meu, e se foi, não continuará dessa maneira por muito tempo, e nós sabemos disso.
Preciso de um estoque de carinho, uma reserva de ânimo. Não encontrei até hoje sensação mais estonteante do que aquela que sinto quando meu coração se encontra com o teu.
-

domingo, 20 de novembro de 2011

Tão nosso





Percebo dentro de você uma frieza questionável, que de certa forma, fez teu coração mudar de ritmo. Talvez mais sereno, mais cansado, mais sensível. Posso afirmar que aconteceu exatamente o mesmo comigo. Aceitar mudanças não é nada fácil, mas com você é diferente. Mudamos pra crescermos, sair dessa casca que no fundo sabemos que não é indestrutível, e é exatamente esse o ponto. Nos quebramos e nos reconstruímos, sempre. Contamos com um abraço para fazê-lo e isso já é o suficiente.
Outras pessoas aparecem, te envolvem, te mudam e te consomem. No final, existe sempre aquele vazio oportuno, moldado para mim, para você, que jamais poderá ser preenchido por outra pessoa, sensação ou sentimento. Você sabe, eu sei. Você confia, e eu também. O tempo brinca, desgasta, machuca, mas não afasta. Gera sim muitas lágrimas, crises ou um simples desconforto. És mais forte que eu, mas admite sentir o mesmo de vez em quando.
Você me mudou, sabes disso. Meu singular já não se mostra presente desde os dois últimos verões , e á não sinto falta disso. O que me move hoje é saber que estás por mim, da mesma forma que estou por você, presente em cada detalhe, crescendo a cada pulsar.

Dois corações que formam um, um que vale por dois, dois que podem formar três, três que não conseguem continuar sem nenhum.

-


segunda-feira, 7 de novembro de 2011

18° letra


Ainda que parta, continuará nas poucas músicas que ainda me remetem tua imagem. Nas risadas toscas sobre um fim de semana tumultuado. Nas discussões sobre a veracidade dos fatos e do interesse alheio de pessoas desconhecidas sobre sua vida. Nas lembranças de um outono feliz onde a maior distância se tornou motivo para saudade. Saudade que talvez não exista mais, em uma das partes. Permanecerá na cereja do sorvete, nos abraços quase diários. No cheiro de almíscar e no conforto das palavras, Nas orações, nos pedidos, nos prefácios.
Se antes buscava artifícios para lembrar, hoje me esforço para esquecer. Esquecer todas as lágrimas derramadas em vão, todos os argumentos fracos e sem fundamentos. Deixar se perder na memória todo o esforço renegado e o coração aflito que hoje insiste em não esperar nenhuma surpresa. Não se esforçar mais para procurar saber a verdade ou uma explicação de um parente abandono.
Mentiria se dissesse que me arrependo, sofro ou me machuco. Feliz ou infelizmente estou conseguindo conjugar tais verbos no passado. Não se pode planejar um futuro se baseando em resquícios de dores já passadas, entretanto, não cabe só a mim relevá-las.
Cumprirei minhas promessas até quando conseguir, e garanto-lhe que terão uma maior validade se comparadas às suas. Não direi adeus a uma parte de mim, mas poderei ser obrigada a deixá-la um pouco mais escondida e menos influente, por mais penoso que seja.
-

quarta-feira, 12 de outubro de 2011

Certezas incertas


Não funcionam como as Leis de Newton por não se aplicarem a todas as situações, nem muito menos são previsíveis como as de Murphy. Se mostram certeiras no meu dia-a-dia, entretanto, não me impedem de cometer os mesmos erros inúmeras vezes. Formatá-las acaba sendo fácil pra mim, difícil mesmo será entendê-las, pois estas continuam se aplicando com frequência.
Eis aqui minha pequena lista de acertos, que podem ser resumidas em constantes erros:

1- ''As pessoas sempre valorizarão aquelas mais ausentes, que não deixam de conquistar sua felicidade antes mesmo de ver o próximo sorrir. Tais pessoas aparecem com menos frequência, e essa raridade, aparentemente, as tornam mais essenciais. Funciona como uma droga e o dependente.''

2-''Não importa o que faça, como pense, ou da maneira que aja, as pessoas sempre se deslocarão para um patamar melhor. Vai além da morte, tão certeira. Caso sejas suficientemente bom para alguém, este pessoa permanece, caso contrário, sua partida é inevitável. Parece meio óbvio, mas em momentos de eloquência absurda, formam-se as cicatrizes''

3- ''O amor sempre será o melhor e o pior sentimento do mundo. Funcionará SEMPRE como o veneno e cura, admitindo as duas características em inúmeros momentos''

4- ''Normalmente, terás que engolir alguns sapos, javalis ou até mesmo elefantes para no final de tudo descobrir - ou não - o que ou aquilo que te faz realmente bem.''

5- ''Nem tudo que vem fácil, parte da mesma forma, até porque para muitos, o fácil não existe, e os verbos vir e partir podem não constar no seu dicionário.''

6- ''As frases mais clichês do mundo estarão presentes no seu dia-a-dia com uma frequência maior do que imagina.''

7- ''Encontrarás sempre refúgio nas músicas, elas irão descrever da melhor maneira possível o que você sente, e indiretamente poderão influenciar nas suas atitudes diante seus problemas.''

8- ''Caso se apaixone, grande parte das pessoas próximas irão tentar abrir seus olhos. Entretanto, todo esforço pode ser em vão, e caso enxergue com clareza o que sente, isso só surgirá depois de destinar muito tempo a um amor talvez não recíproco.''

9- ''Numa louca tentativa de ser ou se tornar diferente, você se sentirá 90% mais atraído(a) por aquilo que provavelmente não te fará bem''

10- ''Aquele que ama o outro numa intensidade maior que a si mesmo acabará se quebrando, rápida ou lentamente''

--

domingo, 18 de setembro de 2011

Contida


''As pessoas boas passam por coisas ruins pois conseguem superá-las'' O que seria uma pessoa boa pra você? Aquela que ouve calada a dor dos mais próximos e guarda consigo respostas que jamais serão ditas? Ou quem sabe aquele que consegue resolver primeiramente o que aflige seu próprio coração, e como consequência, contagia aqueles que lhe cercam? É confuso achar uma definição para tal tipo de 'caráter', talvez ele não exista.
Alguns querem te ver bem, e você chega a fingir tal estado de espírito. É algo bom, mas gera angústia e esta é satisfatória até o momento que consegue ser evitada, presa, escondida.
Coisas ruins. Eu as caracterizo de inúmeras formas, e a encontro toda vez que me dou conta de que não terei mais seu abraço todos os dias, aliás, eu não tenho. É ainda pior quando percebo o poder da distância, aparentemente vencida. Grande equívoco. Ela cresce e a saudade é seu adubo, é uma pena tê-lo em grande quantidade. Não se pode contar mais com sorrisos, votos sinceros de felicidade, vontade de continuar pulsando, motivos pra isso. Seria tão mais fácil se você não existisse, sumir sempre deixa vestígios, e ah, como machucam.
Todas as coisas que te causam pânico resolvem aparecer de uma só vez, você não está preparada pra isso. Não há tempo para mudar essa situação, tudo acaba se tornando tão perigoso, as linhas estão se esgotando, e as palavras não deixam de aparecer. Falar de amor se torna um desafio, admitir senti-lo é ainda pior. Aceitar que uma pessoa é responsável por manipular toda a sua vida, suas alegrias e sentimentos e ainda assim  vê-la fazendo o mesmo numa maior distância, te destroi.
Estás sozinha, pequena.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Acorde



"Dor é assim mesmo. Arde, depois passa. Que bom. Aliás, a vida é assim: arde, depois passa. Que pena. A gente acha que não vai aguentar, mas aguenta: as dores da vida. Pense assim: agora tá insuportável, agora você queria abrir o zíper, sair do corpo, encarnar numa samambaia, virar um paralelepípedo ou qualquer outra coisa inanimada, anestesiada, silenciosa. Mas agora já passou. Agora já é dez segundos depois da frase passada. Sua dor já é dez segundos menor do que duas linhas atrás. Você acha que não, porque esperar a dor passar é como olhar um transatlântico no horizonte estando na praia. Ele parece parado, mas aí você desvia o olho, toma um picolé, lê uma revista, dá um pulo no mar e quando vai ver o barco já tá longe. A sua dor agora, essa fogueira na sua barriga, essa sensação de que pegaram sua traquéia e seu estômago e torceram como uma toalha molhada, isso tudo - é difícil de acreditar, eu sei - vai virar só uma memória, um pequeno ponto negro diluído num mar imenso de memórias. Levante-se daí, vá tomar um picolé, ler uma revista, dar um pulo no mar. Quando você for ver, passou."
(Caio F. Abreu)

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Liars




Consigo me perder em suas entrelinhas, nas notas perdidas de músicas que hoje só servem para me lembrar o quanto desperdicei meu tempo tentando entendê-las, relacioná-las, decorá-las. Faço tempestade em copo d'água com direito a raios e trovões, e não penso momento algum em encontrar um arco-íris após os primeiros raios de sol que particularmente, só servem para me deixar ainda mais tonta. Armo meu circo, torno-me a atração principal, e te uso, e no final ainda recebo meu cachê. Te engano, te iludo, te transformo e te coloco em minhas mãos. Posso te esmagar ou te colocar no meu bolso, perto do meu coração em um lugar onde até minhas respiração perde seu ritmo. Posso calcular minhas ações, mas não chego nem perto de prever as consequências. Entra o amor e eu rapidamente o transformo em dor, de maneira tão simples que chega a viciar . É um ciclo, um vício que te destrói a ponto de invalidar até suas cinzas, enojando todos aqueles que veem seus restos dignos de pena.
Tenho a escolha que repele a razão, e talvez esse seja o ponto. De um lado do muro você tem a felicidade, amena e passageira, que te veda os olhos e entorpece os sentidos. De outro você se depara com a tristeza, que parece confortável quando se aprende a confiar no desapego, na solidão, na indiferença e nas sensações que não se atrevem a chegar perto de ser um sentimento arrebatador e sinceramente não penso em deixar nenhuma marca para trás.

quarta-feira, 29 de junho de 2011

When you need say all the things that you yet know.


Serei direta, sem rodeios. Ainda questiono se devia dizer tudo isso, ou quem sabe continuar me afligindo, afinal, falo sobre algo bom. Te nomeei meu melhor amigo, mas talvez só agora eu realmente saiba o efeito que você tem sobre mim, e o quanto sua amizade é importante. Cada palavra de auxílio nos meus piores e melhores instantes, todos os desentendimentos banais, toda a cobrança, todos os sorrisos, e cada abraço me faz ter certeza disso.
Smile, i'm here.
Não espero te ver com uma absurda perfeição, ou algo parecido com isso. Quero na verdade contar sempre com cada imprevisto ou 'defeitinho' que te molda e me faz ser uma pessoa melhor. Sua alegria é contagiante, por mais que inúmeras vezes eu não consiga demonstrar isso.
Sou incapaz de omitir, mentir ou esconder alguma coisa de você, até porque você me conhece melhor que eu mesma, e isso fica óbvio toda vez que paro pra pensar nisso tudo. O problema aparece em alguns momentos, infelizmente, pois eu ainda carrego comigo uma parte um tanto egoísta que insiste em aparecer. Por você sinto um ciúmes passageiro, uma raiva momentânea mas um amor permanente, e peço-lhe uma coisa: acredite sempre nisso.
Vou sentir saudades, é certeiro. Ainda que o tempo seja desonesto e te afaste por um longo tempo, a certeza de que eu fiz o melhor que pude, mas não tão bem quanto você, me acalmará.
Antes de você pensar em me pedir desculpas, eu já tô te perdoando.
Não me arrependo daquilo feito, nem do que ainda temos, viveremos e honestamente, guardaremos. Ainda que aparente o oposto, eu me sinto feliz com sua presença, demonstrar tal sentimento se torna complicado algumas vezes, porém. E eu odeio o fato de te ver de certa maneira sofrendo por conta disso. Você é e sempre será pra mim uma das peças mais importantes de todo esse jogo, pois além de base, é no seu abraço que eu encontro e reponho toda a força que mina involuntariamente de meu corpo todos os dias.
Não desista de mim, e não me deixe sequer pensar em fazer o mesmo, será a pior coisa do mundo ver que eu posso ter ou estar estragando tudo.
Por mais que o futuro seja incerto e me assuste eu preciso lhe dizer, reafirmar e consolidar o que na verdade eu sempre soube: Eu te amo.

terça-feira, 21 de junho de 2011

Down


Eu estou aprendendo a me acostumar com a dor, até porque é assim mesmo, dói, machuca, corta, mas depois passa. Sempre passa. Por mais que no momento você prefira morrer por uma amor, por uma perda, por uma surpresa inesperada, por um erro e por perder um acerto, passa. Tudo na sua vida é passageiro, até ela mesma. Você pode simplificar , mas a dor é de certa forma, irresistível. Posso até compará-la como uma confirmação ou certeza de que você está apostando algo verdadeiro, ainda que duvidoso. Viver dói. Muitas não tão simples quanto pontadas de agulha ariscas que quase não lhe tocam, surgem muitas vezes como cortes causadores de eternas cicatrizes. Essa até podem ser eternas, mas a dor não. Eu mesma não acreditava nisso, mas minha angústia (fiel companheira daquilo que me machuca) diminui a cada linha desse desabafo. Sortuda não sou a ponto de igualar todas as minhas dores a esta última.
Assim como todo vilão de contos de fadas, nossa personagem tem concerto, um antídoto, quem sabe até mais perigoso que a ovelha negra. Isso porque ele é totalmente manipulador a ponto de lhe fazer cometer absurdos incoerentes e surreais. É como uma droga, mas ainda mais forte pois te alimenta. Ah amor ...
Você não viverá eternamente feliz com ambos, mas estes serão as fontes das mais diversas e flexíveis sensações de toda a sua vida. Você sente dor por amor, o amor lhe causa dor, a dor procura o amor para se acalmar, o amor apaga a dor mas este tem o poder de torná-la ainda mais intensa. E o ciclo continua.
Suas memórias estão lotadas, cheias de pontinhos talvez um pouco mais insignificantes agora por conta desses dois. É fácil ignorar que ambos são entrelaçados e interdependentes, impossível mesmo é realmente sentir sem contar com a presença destes.
Se distrair, procurar amigos ou quem sabe o que restou deles, sombras são até confortáveis.
Acaba como um sorvete no verão, um dente-de-leão ao vento, uma brisa fria em um fim de tarde.
Eles passam, voltam, e é melhor se preparar para isso a cada estação, minha querida.

fandom: Antônio Prata.

domingo, 5 de junho de 2011

Arisco


Faz parte de meus prefácios, de meus sonhos e de possibilidades. Aparece nas horas incertas ou tímidas com uma presença inquestionável. Torna meus segundos mais rápidos, se comparados aos outros tão ásperos. Existe em ti uma paz absurda que se pudesse buscaria todas as noites, tentando sugá-la ao máximo em cada toque. É como se sua essência se misturasse a minha, criando um âmago que mais ninguém conhece além de nós. A origem de tudo isso me surpreende a todo momento, e por instantes faz com que o final se distancie, desapareça. Me fortalece, me sustenta e me exalta, porém inúmeras vezes desaparece de maneira tão fugaz. Me envolve, te encontro, me transforma, te entendo, me leva, te busco, me fala, te ouço, te sinto, me vejo. Quem me dera um dia criar os versos e formar com minhas palavras, meus sentimentos, o nosso epílogo. Não seria comum, como era de se esperar, mas anseio por algo surpreendente. Gosto de baunilha, cheiro de almíscar, textura de algodão e têmpera de café.
Impossível seria mencionar ou explicar o que eu era, aquilo que serei e no que me tornarei sem tua presença, um ser com menos luz e calor eu imagino. Mas com motivos para encontrar forças e permanecer imaginando e esperando sua volta.
Escolheu por entre as pétalas aquela única que lhe traria o bem, e por incrível que pareça as restantes ainda pareceram algumas vezes. Brisas quentes tocam seu rosto quando ele por perto se encontra, e dão lugar a um sopro gélido assim que se afasta. Dependente e involuntária ela caminha por entre trilhas confusas, guiada por um coração forte e gigante, deixando-a envolta sempre que preciso.

domingo, 29 de maio de 2011

Teardrops


Eu erro sempre por pensar que você precisa entender minha dor. Erro ainda mais em acreditar que tu me entendes. Talvez no fundo isso aconteça, mas se verdade fosse, tu se preocuparia em pensar um pouco mais no que eu sinto, naquilo que vejo, no que me quebra. Talvez não por ingenuidade, mas acredito em promessas. É como se no momento em que ela é feita, um pedaço de mim acabe comprometido. Quando você a cumpre, ele permanece, mas é uma pena ver que o contrário também acontece. Sei de seu esforço, da sua vontade de me ver bem. Mas minha necessidade por pequenos e únicos momentos é ainda maior que sua razão. Involuntariamente, ou não, você me traz dores proporcionais às suas doses de alegria.
Eu tenho tão pouco tempo.
O fato de te ter como protagonista acaba comprometendo toda a minha história, e por mais que eu anseie por um final longo e feliz, o destino acaba atrapalhando meu script. Te leva, me traz, te afasta, me consome. Me usa, me machuca, me olha, me convence. Rouba minhas lágrimas mais tristes, e me presenteia com cada vez mais escassos sorrisos.
Dói perceber que uma lágrima de alegria é mais rara que a mesma quantidade de angústia. Deveria ser assim mais valiosa, e quem sabe prolongar seu efeito por pouco mais tempo. Percebo hoje que isso é em vão. Eu detesto perceber essa dependência, mas ela é tão necessária como meu ar. Eu preciso da sua companhia pra respirar.

terça-feira, 10 de maio de 2011

Dispersa


Ele a pertencia, e isso era inegável. A menina possuía agora todos os pretextos do mundo para ser, e se manter feliz. Havia encontrado a maior razão de seus sorrisos, de seus sonhos, a fonte das suas inspirações. Ele era mesmo real, e a cada abraço apertado que recebia todas as manhãs com uma pitada de surpresa confirmava tal teoria. Na verdade, ela já esperava por isso. Aguardava, planejava, imaginava cada toque da sua mão em seu corpo, os dedos que corriam seus cachos e nunca ultrapassavam sua cintura. Cada beijo doce, que terminava sempre com uma mordida no seu lábio inferior. Cada olhar, que em poucos segundos conseguia ler toda a sua alma, e libertar tudo aquilo preso durante muito tempo na parte mais obscura nela existente.
Ela o conhecia, embora não se acostumasse com isso. Já havia decorado suas atitudes, suas palavras de apoio, cada movimento resultante de sua aproximação. Isso de certa forma libertava as borboletas presas em seu estômago, pois só a possibilidade de tê-lo um pouco mais perto, corava suas indiscretas bochechas. Ele era incrivelmente lindo, minimamente moldado para ela. Poderia passar horas ali deitada confortavelmente em seu peito, ouvindo sussurros apaixonados de um alguém tão surreal. Não era esforço nenhum observar por horas seus olhos tão bem desenhados e dois tons mais escuros, em relação ao seu cabelo. Sua boca funcionava como um ima, e tocá-la mesmo que por instantes era suficiente.
Parou ali, e foi naquele fim de tarde, quando o sol já ameaçava se esconder por entre nuvens ralas, que ela escolheu. Tomou a decisão mais certa, e e talvez a mais difícil de sua vida. Resolveu ignorar o resto, sentí-lo como nunca antes havia feito. Ouviu e decorou o ritmo de seu coração, o som de sua respiração, seu cheiro de almíscar. Se aqueceu como calor incomum de sua pele, acomodou seus dedos entre os dele, formando assim um encaixe perfeito. Ouviu o silêncio daqueles instantes e prometeu para ele mesma, que por mais que a machucasse, a quebrasse e aos poucos minasse seus segundos de vida, ela o manteria por perto, atrasando ao máximo sua despedida, tão próxima, tão certa, tão tenebrosa, pouco convencional, e tão dolorosa. Ela o amava com todas as forças, ainda que poucas, mas acharia um meio de se recuperar pouco a pouco com as doses de carinho quase diárias, vindas de seu porto seguro.

terça-feira, 26 de abril de 2011

Abstrata.


Felicidade quase nunca esteve presente no meu vocabulário, pelo menos não quando falava de mim. É um sentimento inconstante, e ao mesmo tempo, vive de extremos. Quando surge, faz meu coração acelerar, fazendo assim minha pulsação perder seu ritmo. Torno-me ofegante e o brilho de meus olhos reaparece. Meu sorriso surge de maneira involuntária, e ao perceber isso, vejo minhas bochechas ficarem coradas imediatamente.
Se por um lado ela quase não me visita, conquistá-la e de certa maneira fácil pra mim. Surge as vezes pelo simples fato de receber um abraço da minha pessoa mais linda do mundo, ou mexer nos cabelos de uma amiga. É tão imprevisível que esta ousa me surpreender até quando arranco de uma só vez aquele enorme pedaço de esmalte na unha, que a horas me incomodava, ou encontrar sorvete de cereja com baunilha num fim de tarde.
Perceber aquele solo de guitarra, seguido de um aparentemente 'grito' de sua banda favorita traz um bem estar absurdo. Decodificar as notas do violão de teu maior ídolo te leva a um outro patamar. Acordar logo cedo, e ver que milagrosamente seus pais estão te esperando pra tomar juntos, por 7 minutos o café da manhã com você faz com que um comum dia se torne mais colorido. Andar a cavalo, prestando mais atenção na sua coluna torta e em seu medo de cair ao invés de curtir, torna o momento no mínimo, diferente. Receber sms de madrugada de seu melhor amigo dizendo que chegou bem em casa serve quase como uma permissão para conseguir dormir profundamente.
Descobrir quantas cores se misturam nos olhos de seu cachorro, conseguir montar um castelo de cartas, ler seu livro favorito na sombra da sua árvore, ver que o céu está no tom certo como apareceu no seu sonho da noite anterior, lembrar do gosto de seu segundo primeiro beijo, ser mordido carinhosamente e sentir de perto aquele hálito doce que lhe gela a espinha. Fazer acontecer, e contar com uma pitada de imprecisão momentos antes, é ah, tão único.
Felicidade não se relaciona apenas com sorrisos. Chorar vendo aquele sua foto predileta, a cena mais marcante daquele filme que ninguém conhece, perceber que você ama e é amado na mesma intensidade e se perder em meio às lágrimas, tudo isso é sinônimo de alegria.
É abstrata, quem sabe quase irreal, mas funciona como oxigênio quando já não sinto mais a mínima vontade de respirar.

quinta-feira, 24 de março de 2011

Estático.


Me alimento de metades, e uma quase ou talvez já me iludem. Espero por pequenas doses de carinho como quem necessita diariamente de um sopro de vida, para assim, quem sabe, manter-se estável na minha condição de eterna paciente. Já fui dessas que corriam mais do que realmente podia para conquistar um pouco de felicidade. Percebo hoje estar minando pouco a pouco meus segundos, de maneira involuntária e inconsequente. Porque você partirá logo agora?
Meu coração perderá sua morfina vital, e o medo me persegue, só te imaginar longe da visão de meus olhos tão acostumados em te ter tão próximo, a ponto de te dividir com as outras partes de meu corpo, que por suas vez pedem loucamente o conforto de seu peito, o calor de seus braços, e o seu hálito doce, embalando assim as suas melhores palavras, sussurradas ao pé de meu ouvido. Elas carregam consigo uma brisa quente que me arrepia a espinha.
Meu eu, meu ser, meu estar. Tudo se congelará sem você para me aquecer.

quarta-feira, 23 de fevereiro de 2011

Prefácio número um.


Ela vai ser amada, todos os dias. Pela sua primeira, segunda, terceira família. Dispensarão a ela o amor mais puro, os sentimentos mais límpidos e concretos que se pode imaginar. Dentre muitos, ela terá todas as manhãs um alguém para lhe abraçar, dizer-lhe um bom dia, perguntar se está bem e fitar seus olhos, de maneira que reconhecerá toda a sua tristeza em um só olhar. Ele vai tentar de todas as maneiras saber a verdade, o que realmente a aflinge, e se certificar, mesmo que depois de muito tempo, que a culpa não é dele. Ele vai estar lá, da maneira mais discreta possível.
Ele perderá a linha algumas vezes, e isso o marcará por muito tempo. Vai revirar histórias aparentemente já esquecidas para quem sabe, encontrar a solução de alguns problemas. Vai sorrir nervosamente, quando não conseguir dizer o que realmente pensa. Estará com ela, sempre. Por perto, de longe, medindo as palavras e não poupando esforços. Saberá a hora de pedir desculpas, e de dizer te amo. De ficar, esperar, tentar. E de dizer adeus.
Ele ficará o máximo possível, e fará de tudo para não deixá-la perceber que os dias estão se esgotando, e que as batidas do relógio ficarão mais aceleradas. Ele aparecerá na maneira mais encantadora possível, e isso a levará a um novo patamar, quase surreal. Vai se abrir sempre que preciso, e esvaziará seu coração constantemente.
Aparecerá nos momentos mais complicados, com seu jeito doce e único. Servirá de base e apoio, renovando todas as suas baterias em minutos. A tirará do chão por instantes, e sempre, SEMPRE a deixará mais leve, e com um alívio indescritível depois de cada momento. Seu sorriso trará toda a luz que ela necessita, e acabará de vez com a escuridão que assombra sua mente.
Vai ser um de seus melhores presentes, o mais completo. E mesmo que o futuro seja incerto, complicado, confuso, despedaçado, calculado, anunciado, previsto, imaginável, e próximo nada vai conseguir realmente separá-los. E isso se manterá estável enquanto ambos acreditarem.
É fato, eu amo você.



sábado, 12 de fevereiro de 2011

Here, now.


E no meio de muitos, lá estava ele. Vestia a roupa do colégio, perfeitamente ajustada em seu corpo. O tom escuro e sombrio das cores, e símbolos pela roupa espalhados, poderiam caracterizar mais uma camiseta comum, mas tudo aquilo lhe caia tão bem. Criava um contraste com sua pele clara e uniforme, que mais parecia uma seda recém tecida. Seus traços eram profundos e sinuosos, abriam espaço para seus olhos negros que mais pareciam fixar o além. Talvez por medo, timidez, insegurança, ou quem sabe eles apenas não haviam encontrado aquilo que realmente procuravam? Sua boca. Seus lábios inferiores eram carnudos, e por distração ou tensão, eram constantemente mordidos. Seu sorriso me iluminava, e soltava sem esforço algum, as borboletas que eu tentava controlar em meu estômago.
Era minha rotina, acordar de um sonho onde eu sentia seu calor, e encontrar a versão real de você, que ultimamente se mantia afastada de mim. Você me deu motivos, e a cada olhar eu podia ler que você não estava bem. Isso me atingia, me quebrava. Seria bem menos complicado te abraçar, ouvir teu coração mais uma vez e ficar ao teu lado enquanto as lágrimas escorriam pelo seu rosto. Te ter perto de mim, servir como ponto de apoio, referência, me fazia bem. Era um dos meus melhores momentos, até porque enquanto ouvia a dor de suas palavras, eu não precisava usar minha melhor máscara e esconder as minhas. É mórbido, eu sei, mas são os últimos momentos que tenho em minha mente desde que você .... desde a última vez em que eu pude ouvir suas melhores palavras.
Eu poderia te comparar com o ar que me mantém firme, mas hoje eu já não sei. Eu estou viva, certo? Errado. Você foi um dos poucos que ainda não enxergou minha tristeza constante, meus olhos que mais se assemelham com um espelho, que apenas reflete aquilo que se põe em minha frente. Embaçado, sem brilho, sem rumo. Na realidade, acho que você já percebeu, mas provavelmente, o medo de já imaginar o motivo esteja te consumindo.
Você está tão perdido quanto eu , meu querido. Os ventos sopraram para o sul e para o norte, e se continuarmos caminhando, procurando, ainda nos encontraremos, e eu espero ansiosamente por isso, meu anjo.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

Cais de porto.



Chovia. Acelerado e pouco ritmado, seu coração quase não cabia dentro do peito.Talvez porque este fazia o trabalho de muitos, incansavelmente, e sempre. Por mais que ela já tivesse imaginado esse momento centenas, milhares de vezes tudo parecia novo demais, e isso fazia seu corpo inteiro tremer. Seria forte, doce, ou quase imperceptível o cheiro de seu perfume? Era algo incerto, mas ela tinha certeza de algumas coisas porém. Seus olhos iriam se arquear bastante quando ele a visse, de maneira que suas bochechas ocupariam quase todo seu rosto, dividindo o espaço com um sorriso exuberante, com o qual ela sonhou muitas vezes. Talvez um pouco torto, sem jeito, apareceriam na face dos dois, como quem muito quer, mas não sabe ao certo o que pensar, sentir, ou dizer.
Provavelmente a cena pasasse despercebida por muitos, mas para eles seria o melhor momento de todos. Você pode compará-lo com diversas situações. Quem sabe a sensação de alegria se assemelhe com alguém que descobre um trevo de quatro folhas em um campo aberto, de alívio ao encontrar um bote em um grande rio, ou quem sabe se agarrar a uma chance única em sua vida? Você pode utilizar até mesmo hipérboles, mas nunca saberá realmente do que se trata, a menos que já o tenha vivido.
Ela só sabia que estava ali, e não voltaria jamais. Seus olhos não acreditavam no que via, tentou até fechá-los por alguns instantes, na tentativa de confirmar algo tão indescritível. Alguns passos, poucos metros, distâncias insignificantes a separavam de seu refúgio. Ela só queria aproveitar o momento e, as gélidas gotas que caíam sobre ela já não tinham importância, sabia que dentro de alguns instantes se aqueceria inteiramente, e quem sabe perderia por momentos os seus sentidos.

terça-feira, 4 de janeiro de 2011

Minhas 178 verdades.


178 verdades sobre mim .

Admito que fugi dos padrões com essa postagem, mas foi a melhor distração dos últimos tempos .


1 - Tenho 15 anos;
2 - Sempre sonhei em ter 21;
3 - Eu sou absolutamente , irrevogavelmente encantada por algumas pessoas;
4 - A menina que roubava livros é meu livro favorito;
5 - Sou perfeccionista;
6 - Demonstro menos ciúmes do que realmente sinto;
7 - Sou instável;
8 - Já amei intensamente alguém;
9 - Não sei julgar ninguém;
10 - Já chorei por pessoas;
11 - Já perdi muito;
12 - Não sei me contentar com poucos sentimentos;
13 - Não consigo odiar ninguém;
14 - Tenho poucos amigos;
15 - Sou uma pessoa fechada;
16 - Já tive máscaras;
17 - Tenho um paixão absurda por escrever;
18 - Meu maior medo se resume em solidão;
19 - Acredito em anjos;
20 - 7 é meu número da sorte;
21 - Não chorei quando nasci;
22 - Já menti;
23 - Baunilha me encanta;
24 - Já fiz coisas das quais me arrependo;
25 - Eu não choro fácil;
26 - Eu sonho muito;
27 - Já menti para salvar alguém;
28 - Sei disfarçar dores;
29 - Já escondi amores;
30 - O meu som preferido é de um coração batendo;
31 - Sempre fico sem ação quando escuto uma certa voz;
32 - Já apanhei;
33 - Sei quem é a pessoa mais linda do mundo;
34 - Tenho cartas guardadas que nunca saíram de minha casa;
35 - Prefiro números pares;
36 - Sempre fixarei meus olhos nos seus, quando conversar comigo;
37 - A letra R sempre foi a minha favorita;
38 - Sei ser meiga;
39 - Vivo de extremos;
40 - Sou ciumenta;
41 - Me divido em três partes quando falo de meus melhores amigos;
42 - Sou louca por música;
43 - Pra mim o melhor cantor que já existiu é o Jason Mraz;
44 - Adoro preto;
45 - Sou tímida;
46 - Tenho segredos que ninguém conhece;
47 - Gosto de jiló;
48 - Minha maior mania é mexer no lóbulo de minha orelha quando estou nervosa;
49 - Eu adoro o frio;
50 - Não entendo gente fria;
51 - Já mudei por pessoas;
52 - Já quis me matar;
53 - Não consigo deixar de dizer TUDO o que sinto para apenas UMA pessoa;
54 - Sonho sempre com um menino que não conheço, nem nunca vi;
55 - Já acreditei que o chocolate do bolo formigueiro, era formiga;
56 - Já tive um cachorro que até hoje ainda é mais velho que eu;
57 - Sempre assino Jéssica Martins , mas também tenho Abreu como sobrenome;
58 - Nunca bebi nada;
59 - Não tenho medo de morrer;
60 - Desejo desesperadamente um abraço de alguém;
61 - Não sei dividir pessoas;
62 - Odeio quando amam fácil;
63 - Não gosto de limites;
64 - Já pintei meu cabelo de rosa;
65 - Já me decepcionei com pessoas;
66 - Gosto de meu sorriso;
67 - Já me julgaram por amar quem não 'conheço';
68 - Quase nunca falo palavrões, e quando os uso eu REALMENTE estou mal;
69 - Eu realmente amo ter nascido em Minas;
70 - Eu sou louca por meu pai;
71 - Já pensei em morrer mais cedo, para conhecer meu avô;
72 - Já fugi de casa quando menor, e voltei sem nem perceberem;
73 - Sou irônica;
74 - As pessoas que mais me cativaram até hoje não estão ou já estiveram comigo por poucas vezes;
75 - Gosto quando gostam de meu abraço;
76 - Pra mim não existe coisa melhor que um abraço;
77 - Minha fruta favorita, é abacaxi;
78 - Eu já tive um diário;
79 - Já planejei meu futuro inúmeras vezes;
80 - AMO ornitorrincos;
81 - Sempre quis ter um cavalo;
82 - Eu SEMPRE choro quando vejo Lilo e Stitch;
83 - Relaciono cheiros a pessoas;
84 - Relaciono cores a pessoas;
85 - Sempre quis trabalhar com criminalística;
86 - Ainda vou adotar alguém;
87 - Sou boa com datas;
88 - Adoro ler;
89 - Ainda vou escrever um livro;
90 - Minha maior frustração é ter cartas sem respostas;
91 - Eu não gosto de banana;
92 - Eu não tomo leite a 10 anos;
93 - Não sou chocólotra;
94 - Tenho AMIGOS virtuais;
95 - Gosto que mexam no meu cabelo;
96 - Tenho horror a qualquer tipo de preconceito;
97 - Eu não gosto de quiabo;
98 - Meu maior sonho é pular de asa delta;
99 - Adoro o símbolo do infinito;
100 - Me menosprezo, muito;
101 - Não sei ser dramática, ou seja, acredite em mim quando reclamo muito;
102 - Eu me identifico com personagens de filmes;
103 - Não aceito o fato de ter sotaque;
104 - Sempre quis falar alemão;
105 - Tenho 2 cicatrizes sobrepostas;
106 - Tenho uma mancha no pé que sempre me foi familiar;
107 - Eu não gosto de distância;
108 - Eu acredito no amor;
109 - Eu não amo fácil;
110 - Se você for amigo do meu melhor amigo, acho difícil gostar de você;
111 - Eu adoro maquiagem;
112 - Eu adoro cozinhar;
113 - Eu sempre quis ter um labrador chocolate;
114 - Sempre quis me casar, mas nunca deixei isso claro;
115 - Eu acredito em alma gêmea;
116 - Sou uma pessoa que disfarça com sorrisos;
117 - Sei guardar dinheiro;
118 - Se compro algo, eu realmente pensei muito antes de fazê-lo;
119 - Eu sou bipolar;
120 - Sempre peço desculpas primeiro;
121 - Não demonstro sentimentos na mesma intensidade que os outros;
122 - Eu choro quando erro;
123 - Eu fico em estado de choque quando me deparo com falta de consideração;
124 - Eu adoro chá;
125 - Eu ja passei 1 semana sem comer nada;
126 - Eu sou apaixonada por pão de mel;
127 - Eu erro muito;
128 - Eu adoro teatro;
129 - Para mim, um dos melhores programas que existe é ver um filme;
130 - Não gosto de filme de terror;
131 - Pessoas altas me atraem à primeira vista;
132 - A D O R O desafios;
133 - Nunca quis ser a melhor em algo;
134 - Sofro muito com TPM;
135 - Adoro comer caranguejo, mas minha pena é maior que minha fome;
136 - Já sonhei com todas as 3 experiências de quase morte do meu pai, sem ao menos saber delas;
137 - Adorava quando meu pai trazia o tazo que vinha no chips pra casa;
138 - Nunca uso gostaria, sempre coloco um 'quero' no lugar;
139 - Me assusto sempre quando uma pessoa mostra que realmente me conhece;
140 - Adoro pôr do sol;
141 - Já li a menina que roubava livros 7 vezes, e pretendo ler mais;
142 - Tenho medo de lagartixas;
143 - Como descontroladamente pão de queijo;
144 - Adoro quando me distraem;
145 - Sempre reparo nos olhos das pessoas;
146 - Adoro falar 'enfim';
147 - Tenho vontade, mas falta coragem ou oportunidade de morder pessoas;
148 - Já tive experiência de quase morte quando mais nova;
149 - Cheiro de sangue não me incomoda;
150 - Já tive amigos imaginários na infância;
151 - Já bati na minha irmã;
152 - Minha irmã já me bateu;
153 - Sempre que penso na palavra 'ódio' , procuro um outra para substituir;
154 - Dezembro é o mês que de qualquer forma, me deixa ansiosa;
155 - Não esqueço as coisa facilmente;
155 - Não gosto de rotina;
156 - Amo dormir na casa de minha avó;
157 - Acho muita coisa 'muito meiga';
158 - Disfarço um ' eu te amo' com um sorriso;
159 - Viajo muito na maionese;
160 - Adoro rir da falta de graça das pessoas;
161 - Me considero muito estranha;
162 - A sensação de alívio para mim é uma das melhores, e também mais raras;
163 - Eu me considero simpática;
164 - Já cuidei de um beija flor até ele crescer;
165 - Se fosse um animal, queria ser uma águia;
166 - Eu adoro dançar;
167 - Eu passo muito tempo vendo fotos de pessoas que estão fora da minha realidade;
168 - Eu converso com anjos;
169 - Não gosto de adjetivos ( quando se referem a mim );
170 - Não gosto de regras;
171 - Sou capaz de passar horas vendo um peixe nadar;
172 - Pulo corda sempre que me extresso;
173 - Não consigo passar um dia sem música;
174 - Já escrevi poemas;
175 - Já perdi pessoas;
176 - Já precisei de alguns para me achar;
177 - Para mim a melhor roupa que existe é calça jeans;
178 - AMO andar descalça .