domingo, 20 de novembro de 2011

Tão nosso





Percebo dentro de você uma frieza questionável, que de certa forma, fez teu coração mudar de ritmo. Talvez mais sereno, mais cansado, mais sensível. Posso afirmar que aconteceu exatamente o mesmo comigo. Aceitar mudanças não é nada fácil, mas com você é diferente. Mudamos pra crescermos, sair dessa casca que no fundo sabemos que não é indestrutível, e é exatamente esse o ponto. Nos quebramos e nos reconstruímos, sempre. Contamos com um abraço para fazê-lo e isso já é o suficiente.
Outras pessoas aparecem, te envolvem, te mudam e te consomem. No final, existe sempre aquele vazio oportuno, moldado para mim, para você, que jamais poderá ser preenchido por outra pessoa, sensação ou sentimento. Você sabe, eu sei. Você confia, e eu também. O tempo brinca, desgasta, machuca, mas não afasta. Gera sim muitas lágrimas, crises ou um simples desconforto. És mais forte que eu, mas admite sentir o mesmo de vez em quando.
Você me mudou, sabes disso. Meu singular já não se mostra presente desde os dois últimos verões , e á não sinto falta disso. O que me move hoje é saber que estás por mim, da mesma forma que estou por você, presente em cada detalhe, crescendo a cada pulsar.

Dois corações que formam um, um que vale por dois, dois que podem formar três, três que não conseguem continuar sem nenhum.

-


Nenhum comentário:

Postar um comentário