quinta-feira, 26 de julho de 2012

see you


Não foi em vão, tenho certeza disso. Toda a dor causada pela ausência foi substituída, em questão de segundos, por um único gesto. Chego a pensar que todo sofrimento é sim necessário, só me restava saber manipulá-lo de maneira tal que não me prejudicasse a ponto de atingir aqueles próximos a mim, até porque, eles me querem bem, e nada mais justo do que agradecê-los com meu melhor sorriso.
Já não machuca tanto, e se ocorre, consigo amenizar a intensidade. Talvez porque agora grande parte da minhas dúvidas tenham sido extintas, ou até mesmo superadas. Tudo bem que algumas persistem, mas e daí? Até o paraíso possui seus dias ruins, e comparar minha vida a ele seria uma atitude equivocada. É contraditório conseguir entender em oito dias o que tento fazer há mais de duzentos. Quem sabe eu não tenha realmente entendido, mas pude sentir o que há meses me recusava a lembrar que existia.
 Preciso sim de doses de carinho e olhares de apoio com uma frequência por mim ainda desconhecida, mas a necessidade diária talvez não exista mais. Não pelo fato de tê-las esquecido, mas sim porque agora já me sinto inteira de novo apenas por saber que você vai sim estar lá, presente como se estivesse aqui, renovando em cada oração a promessa feita toda a vez que te vejo partir.