quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Um estranho familiar




Seu olhar é frio,
tímido
escuro
vazio.

Sua pele me chama,
e a minha corresponde.
Meu corpo por ti, clama.
Mas você sempre se esconde.

Seu sorriso é incandescente
ilumina tudo que existe ao teu redor.
Por quê há de ser assim, tão diferente?
Me sentir desse jeito talvez não seja o melhor.

Quero poder colocar minhas mãos nas tuas,
enlaçar meus dedos  aos seus.
Descobrir suas verdades, ainda que nuas e cruas,
Poder encontrar meu próprio eu,
no seu.

Encantamento talvez seja, 
ou um desejo primitivo.
Dê o próximo passo, 
olhe-me de um modo mais sereno.
Mas acalme, por favor
esse meu coração pequeno.

Nenhum comentário:

Postar um comentário